Adoçantes: sim ou não?



Os adoçantes, ou edulcorantes, são substâncias utilizadas para substituir o açúcar, com um poder adoçante muito superior ao açúcar. Existem dois tipos de adoçantes: os adoçantes calóricos (com uma quantidade de calorias significativamente menor do que o açúcar – exemplos: polióis e stevia) e os adoçantes não calóricos (sem calorias – exemplos: sacarina, aspartame, ciclamato,…).


Devemos ter em conta que:

· Sem açúcar não significa zero calorias: Alguns alimentos com edulcorantes não contêm açúcar, mas isso não significa que sejam menos calóricos. Por vezes, têm outros açúcares (frutose ou glucose, por exemplo) ou gordura no seu lugar.

· Não devemos usar os adoçantes como compensação alimentar: “O refrigerante não tem açúcar, por isso posso comer um bolo” – esta desresponsabilização alimentar leva, de alguma forma, a um compensação noutros alimentos mais doces e calóricos ou então no consumo a dobrar dos produtos ditos “light”.

· O uso correto das bebidas/alimentos light, sem compensação abusiva noutros densamente calóricos, ocasionalmente e em substituição de habituais produtos açucarados, pode ser visto de forma positiva, dado que esta troca leva a um menor consumo calórico e, por sua vez, a uma melhor gestão do peso corporal.

· Depois de consumidos, e ao contrário do açúcar, os adoçantes não conseguem estimular as hormonas responsáveis pela diminuição da velocidade do esvaziamento gástrico e supressão do apetite. Além disso, dado a perceção do sabor doce não corresponder à ingestão de calorias, alguns estudos (apesar de não comprovados) apontam que pode resultar numa insuficiente ativação do sistema de recompensa cerebral, o que faz com que a procura de alimentos doces continue.

· E a médio e a longo prazo? Há prejuízo no seu consumo? Sim. A exposição crónica a estes adoçantes pode desregular o nosso controlo glicémico devido a alterações na nossa flora intestinal. Há também alguns estudos que indicam um aumento de risco de cancro com o consumo destas substâncias a longo prazo.

· E os adoçantes naturais? O Stevia parece ter efeitos interessantes na diminuição da pressão arterial em hipertensos e melhoria do controlo glicémico em diabéticos. Alternativa igualmente positiva são os polióis com um impacto muito reduzido na glicemia e nas cáries dentárias, para além de apresentarem apenas metade do açúcar.


Concluindo:

· Não devemos consumir edulcorantes (artificiais) idealmente.

· Sim, se está a tentar perder peso, em substituição de um produto que já iria consumir, a alternativa “light” com menor teor de calorias, pode ser opção, pontualmente.


Por: Ana Dias: Nutricionista do clube de saúde Kalorias Gaia, membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas nº2594N.

226 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Faça parte da nossa lista de emails.

Escolha a(s) newsletter(s) que gostaria de receber:

  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone LinkedIn

© 2021 KALORIAS - Todos os direitos reservados.