Faça parte da nossa lista de emails.

Escolha a(s) newsletter(s) que gostaria de receber:

  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone LinkedIn

Os Nossos Parceiros:

965Prancheta-1
456Prancheta-1
89Prancheta-1
99Prancheta-1
94Prancheta-1
76Prancheta-1
65Prancheta-1
49Prancheta-1
51Prancheta-1
23Prancheta-1
43Prancheta-1
27Prancheta-1
25Prancheta-1
19Prancheta-1
16Prancheta-1
parceirosPrancheta-1
12Prancheta-1
7Prancheta-1
07Prancheta-1
6Prancheta-1
5Prancheta-1
2Prancheta-1
3Prancheta-1
4Prancheta-1
1Prancheta-1
965Prancheta-1
456Prancheta-1
89Prancheta-1
99Prancheta-1
94Prancheta-1
76Prancheta-1
65Prancheta-1
49Prancheta-1
51Prancheta-1
23Prancheta-1
43Prancheta-1
27Prancheta-1
25Prancheta-1
19Prancheta-1
16Prancheta-1
parceirosPrancheta-1
12Prancheta-1
7Prancheta-1
07Prancheta-1
6Prancheta-1
5Prancheta-1
2Prancheta-1
3Prancheta-1
4Prancheta-1
1Prancheta-1

© KALORIAS 2020 Todos os direitos reservados.

  • KALORIAS

Efeitos do stress no comportamento alimentar

Atualmente, o stress é considerado um problema dos tempos modernos, causando efeitos negativos à saúde. Cada indivíduo possui uma resposta biológica diferente que pode ser influenciada por fatores fisiológicos, psicológicos, sociais ou ambientais, e que promove mudanças de hábitos alimentares, fazendo com que haja um aumento ou diminuição no seu apetite.


Estes fatores podem ter uma duração curta (stress agudo) ou ocorrer diariamente por um longo período de tempo (stress crónico). As respostas ao stress agudo ou crónico podem levar a alterações fisiológicas que incluem o esvaziamento gástrico mais lento, a elevação da pressão arterial, ao aumento da frequência cardíaca, a mobilização de reservas de energia e a diminuição do fluxo sanguíneo para os órgãos não essenciais. Geralmente, um stress agudo está associado à falta de apetite, enquanto que um stress crónico, está relacionado com o aumento do apetite e aos exageros alimentares. Quando o nosso organismo sofre um stress agudo, ocorre uma ativação do sistema simpático, com libertação de catecolaminas (adrenalina e noradrenalina), o que resulta na supressão do apetite. A exposição do organismo a um stress crónico, faz hiperativar o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, libertando corticosteróides, que, por sua vez, estão associados ao aumento do apetite e ao acúmulo de gordura abdominal.


Estudos apontam que a elevada carga de stress afeta diretamente os hábitos alimentares, levando grande parte dos indivíduos a consumirem alimentos ricos em açúcares e gorduras, os quais possuem maior palatabilidade e valor energético.


Será importante definir estratégias para melhorar a sua qualidade de vida e a forma de lidar com o stress do dia-a-dia. Pratique atividade física e tenha uma alimentação equilibrada e completa ao longo do dia, com alimentos saciantes, de forma a receber nutrientes essenciais para o controlo do seu apetite.


Cuide de si e da sua saúde!


Fontes:

http://jcvnutricao.blogspot.com/

ISSN: 2316-2678 CONSEQUÊNCIAS DO ESTRESSE NO COMPORTAMENTO ALIMENTAR


Por: Milene Celestino: Nutricionista do clube de saúde Kalorias Montijo, membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas nº 1154N.

211 visualizações