A alimentação na Endometriose

A Endometriose é uma das doenças pélvicas mais comuns associadas ao sexo feminino que se manifesta durante o período de idade fértil, e que se caracteriza pelo crescimento do tecido endometrial fora do útero.

De acordo com o grau de gravidade, esta doença manifesta-se em três formas diferentes:

  • peritoneal ou superficial, considerada como uma condição fisiológica em mulheres durante os anos reprodutivos;

  • de ovário, que ocorre com o aparecimento de cistos nos ovários da mulher;

  • e profunda que é o tipo mais grave, que pode manifestar-se nos lugares menos comuns como no intestino, na bexiga, no diafragma, na vagina e na parede abdominal.

Os sintomas mais comuns, embora com diferentes intensidades, que as mulheres que têm endometriose apresentam são: obstrução intestinal, dores crónicas, cistos nos ovários, alterações urinárias, infertilidade. Há também algumas mulheres que não apresentam sintomas nenhuns.


O tratamento dos sintomas envolve medicação, cirurgia e cuidados a nível alimentar. A nutrição é um dos apectos relacionados com a origem e progressão da doença e que deve ser utilizada como uma forma de tratamento. Dietas deficientes em nutrientes resultam em alterações no metabolismo lipídico, stresse oxidativo e provocam mudanças negativas a nível epigenético que podem estar relacionadas com a endometriose. Assim, uma dieta rica em vitaminas e minerais, fibras, antioxidantes e ácidos gordos possuem um efeito positivo sobre os sintomas da endometriose.


A nível de suplementação, é recomendado a toma de vitamina A, C, E, ómega 3, magnésio e vitaminas do complexo B. Os benefícios decorrentes do consumo destes nutrientes podem evitar a evolução de processos que prejudiquem o endométrio, no que diz respeito a prevenção; e no tratamento, contribuir para tratar os sintomas.


A diminuição do consumo de carnes vermelhas, soja, glúten, gorduras trans e saturadas, álcool e cafeina é também aconselhável.



Bibliografia:


Parazzini F., Viganò P., Candiani M., Fedele L. Diet and Endometriosis risk: A literature review. RBMO. 2013; 26(4):323-336.


Halpern A., Schor E., Kopelman A. Nutritional aspects related to endometriosis. RAMB. 2015;61(6).


Hujis E., Nap A. The effects of nutrients on symptoms in women with endometriosis: a systematic review. RBMO. 2020; 41(2):317-328.


Santos A., et al. Nutrientes que auxiliam na prevenção e tratamento da endometriose. Método do Saber. 2015; 09 (06):50-53.



Por: Ana Patrícia Santos: Nutricionista estagiária do clube de saúde Kalorias Torres Vedras, membro estagiário da Ordem dos Nutricionistas nº3104NE

361 visualizações

Faça parte da nossa lista de emails.

Escolha a(s) newsletter(s) que gostaria de receber:

  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone LinkedIn

© 2021 KALORIAS - Todos os direitos reservados.