Microbiota intestinal

A sua microbiota intestinal é constituída por todos os microrganismos que habitam os intestinos, pode ser considerada um órgão funcional no corpo humano.



O equilíbrio entre bactérias, leveduras, fungos e outros microrganismos é fundamental para a sua saúde.


O conhecimento sobre a microbiota intestinal, ou flora intestinal, tem melhorado através do uso de novas técnicas de identificação baseadas no estudo dos genes (ADN) dos microrganismos que habitam os intestinos. É hoje estimado que centenas de espécies de bactérias constituam a microbiota intestinal. Estas estão divididas entre espécies dominantes, mais espécies raras e espécies transitórias que circulam ao longo do trato digestivo.


A microbiota dominante única para cada pessoa. Apenas uma pequena fração de espécies é amplamente partilhada na população humana: aproximadamente 60 espécies bacterianas habitam 50% dos indivíduos de uma mesma área geográfica. Apesar de ainda estar a ser investigado, é possível que existam três tipos diferentes de composição bacteriana. Estes grupos definem a flora intestinal e estão relacionados, em parte, com os hábitos alimentares: um deles está relacionado com uma dieta Ocidental rica em açúcar e gordura animal e o outro está associado a um consumo significativo de fruta e vegetais. Como a microbiota pode ser regulada deliberadamente, é importante que isso seja feito de forma equilibrada para preservar a simbiose entre as diversas espécies que habitam o intestino, de forma harmoniosa.


Começa logo à nascença a parceria entre bactérias e o intestino. Demora aproximadamente três anos para que a microbiota intestinal se forma. O sistema digestivo de um recém-nascido é rapidamente colonizado por microbiota “simples”, com origem nas bactérias vaginais e fecais da mãe. A amamentação proveniente de bactérias favoráveis, como bifidobactérias.


A diversidade da microbiota também depende do ambiente dos primeiros tempos da infância, tem sido observada uma menor diversidade nos países ocidentalizados, o que pode estar relacionado com higiene excessiva.


A microbiota intestinal evolui ao longo dos anos, mas mantém sempre parte da sua origem. Menor diversidade microbiana pode levar potencialmente a doenças prolongadas.



Por: Maria Carlos Marcelo: Nutricionista do clube de saúde Kalorias Seixal, membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas nº1657N.

272 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Faça parte da nossa lista de emails.

Escolha a(s) newsletter(s) que gostaria de receber:

  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone LinkedIn

© 2021 KALORIAS - Todos os direitos reservados.